sexta-feira, maio 01, 2009

Velharias - gémeas das polacas - nas estradas tugas


Ainda tinha eu o meu Maluch, e passeando por Lisboa em Setembro passado, dou de caras com este bébézinho. Em apreciável estado de conservação, mesmo apesar de dormir na rua. Com direito a cromados catitas e tecto em lona. Um sucesso nos anos 70, aposto.

7 comentários:

Ricardo Taipa disse...

Pois... só que esse fe mesmo um Fiat italiano, nao quer dizer que seja melhor ou pior pois na realidade falta-lhe apenas um P a seguir ao 126...

Esses primeiros modelos de "Maluch" não foram fabricados na fábrica de Tychy em 1972, só mais tarde. Os primeiros eram mesmo italianos. Hoje em dia os Maluch de pára-choques cromados e com aquele filete cromado ao redor dos vidros valem bem mais que um comum Town - igual ao que tiveste em tempos.

Os que ainda se vão vendo para estes lados são modelos 126P das últimas séries, tinham ignição electrónica, bancos e tablier modernizados, volante e alavanca da caixa igual ao Fiat Cinquecento e ferrugem igual a qualquer outro Maluch, mas falar deste carro no teu blogue é como ensinar a missa ao padre... :))

Geraldo Geraldes disse...

Por momentos, ainda pensei que tivesse chamado a este carro um Maluch, mas não fiz esse erro. Claro que sei que os primeiros vieram mesmo de Itália :).
Mas, de facto, não deveria ter dito que este era um gémeo dos polacos. É mais um meio-irmão mais velho dos de Tychy :).
Realmente, deveria ter comprado um Maluch dos antigos....MAS, aquele que comprei tinha seguro, inspecção feita e na minha inocência pensei que se era novo era melhor. ERRADO!!! como bom Fiat, quanto mais electrónica, mais problemas. Mas também, tentar dizer mal de FIAT's a ti é como dizer mal do Vaticano a um padre :)

Ricardo Taipa disse...

Olha que se há alguém que critica os Fiat sou eu, conheço por demais a marca e durante anos nem equacionei a compra de um Fiat, Lancia ou Alfa Romeo mas os tempos mudaram e hoje em dia o grupo Fiat faz bons produtos e tem a Fiat Powertrains a fornecer motores a concorrentes.

Nesse sentido acabei por comprar um Lancia com motor JTD e não estou mal servido.

Os Fiat antigos (126, 127, 128, 124, 131, 132, Ritmo, Uno, Panda) têm um segredo... se algo funciona NUNCA se mexe!!! :))

Geraldo Geraldes disse...

Sábio conselho esse: se funciona NUNCA se mexe. ahahah. A questão é que para mim, associo sempre e ainda à FIAT problemas de electrónica. Fiats Uno, Tipos, Regatas, etc....
Pode ser que um dia volte a comprar um Fiat. Quem sabe. Tenho deveras curiosidade de experimentar um Panda 4x4. Dos antigos, que o novo tem um ar demasiado redondo/feminino/plástico :). Com uns pneus de jeito, um pouco levantinho e com um snorkel, ainda é carrinho para envergonhar muito SUV. eheh

João Tavares disse...

Já agora... essa foto não foi tirada na calçada da graça? pelo menos parece :D é que não me admirava que para esses lados estivesse um carrinho desses por lá... ;)

Geraldo Geraldes disse...

Mais uma prova que Lisboa é uma cidade muito pequenina João. Sim, acertaste na localização onde a foto foi tirada :).

João Tavares disse...

Pois bem me pareceu familiar a localização, por muitos anos passei por lá todos os dias para ir para a escola, (Gil Vicente e tambem a Luisa de Gusmão) :D