quinta-feira, novembro 27, 2008

Choque cultural nos supermercados

Em Portugal, quando estamos nalgum estabelecimento comercial e se decidimos de facto pagar (cada vez mais pessoas aderem ao popular 5-finger-discount) por aquilo que queremos levar para casa, ou se paga com cartão ou com dinheiro.
Comparando com a Polónia, e acho que já referi isso algures, pagar com cartão não é assim tão comum. Muitas das vezes, mesmo para para um cartão de débito ao invés de digitar o pin, temos de assinar. Além disso, não raras vezes o cliente paga uma taxa por transacção. Logo, a malta tendencialmente paga em guito.
Em pagando em guito, em Portugal a coisa mais normal é não só a pessoa que está na caixa estender a mãozinha para receber o dinheiro, como depois nos devolver o troco directamente sobre a nossa mão. São hábitos bonitos, que demonstram uma relação de proximidade como só os latinos na Europa sabem ter (o exemplo Sarkozy-Merkel com as palmadinhas no ombro do franciú ao chanceler alemão; perdão, à chanceler). Ou então uma maneira de propagar doenças mais facilmente...
Mas na Polónia, em todo o sítio há uma pequena base ligeiramente côncava onde cliente e vendedor colocam o dinheiro. Não há cá contacto físico coisa nenhuma. Várias vezes estendi a mão para receber o troco e a senhora do outro lado coloca ao invés as moedinhas (algumas do tamanho de uma cabeça de alfinete) nessa base. E não sendo vidente, acho que o que ia no espírito dessa pessoa seria algo do género: "deves tar a pensar que eu te vou tocar oh estrangeiro porcalhão". Germofobia ou apenas hábitos diferentes? Num sei...

2 comentários:

Ricardo Taipa disse...

Bem verdade o que dizes... O sistema de pagamento a dinheiro (gotówka)ainda est bem enraizado na cultura polaca especialmente entre os idosos e mesmo em muitas pessoas de meia-idade.

A cerca de 300 metros daqui temos um Leclerc onde costumo comprar a "merenda" que substituiu o meu almoço português de "faca e guardanapo"; volta e não volta lá estão os velhotes na fila para pagar e quando isso acontece já sei que vai demorar mais um pouco pois contar cada groszy e moedinhas de złoty demora o seu tempo!

E também é bem verdade que as moedinhas de 1, 2, 5 e 10 groszy são feitas para quem tem unhas para as pegar... :)

Em breve o Euro vai ditar o fim do złoty para "mal dos nossos pecados", diga-se de passagem...

Jarosinski Brasil disse...

Não é nenhuma coisa nem outra. Xenofobia por existir um recipiente no caixa para colocar o troco?
Em Curitiba, Brasil, este modelo é muito comum e jamais alguém pensou que é para o caixa não tocar a mão do comprador. Alguns dos teus "posts" denotam mais preconceito com o que não conheces do que o verdadeiro sentido das coisas numa cultura que lhe é estranha....só isso!