quarta-feira, maio 12, 2010

Antroponímia II

Já por aqui foi dado um lamiré sobre os nomes dos polacos. Agora vou focar-me na sina que muitos deles carregam quando têm de dizer mesmo só o primeiro nome a um estrangeiro que não perceba patavina de polaco.
Um Władysław ou mesmo um Andrzej percebe-se que optem por transformar o seu nome em algo mais anglo-saxónico. Agora, como eu cheguei a ouvir pessoalmente, apresentarem-se como Peter (em vez de Piotr) ou Martin (Marcin) já é exagero. Já me bastou ter ouvido muitíssimas vezes a malta ter dito o meu nome mudando uma letrita no fim para aquilo soar a espanhol para ficar cheio de azia, quanto mais ser eu próprio a amputar o meu nome. Cruzes credo.
Ps: No caso de uma polaca, provavelmente um estrangeiro também não percebe muito bem o seu nome, mas aí já não é um problema linguístico, mas de desconcentração.

4 comentários:

PM Misha disse...

a minha namorada fala sempre da "kate", do "andrew" e do "peter". acho que é um mecanismo automático de tradução completa, uma vez que começas a traduzir as palavras polacas para inglês traduzes também os nomes.
mas soa estranho, é verdade, vá lá que o meu nome não tem tradução.

Ricardo Taipa disse...

Boa questão! O meu nome costuma ser dito com o R suave (sem ser Rricardo como em português) ou com pronuncia algo italianada...

Alguém que traduza Zbigniew, Mieczysław ou Włodzimierz!

@ Nuno - Já te devem ter dito que Nuno é aquilo que os polacos dizem às crianças quando não devem fazer algo - no no, nie zrób tak! :)

Geraldo Geraldes disse...

É muito esquisito isso. Ainda para mais sendo o polaco médio muito nacionalista, ser ele próprio a alterar os nomes é estranho.
Assim como assim, o método português ainda é melhor, pois se alguém não nos perceber, gritamos as palavras.

PM Misha disse...

ricardo,

sei disso, e sei que é um tratamento ternurento para os bebés.

"chodż, niuniu..."

q:D